JE T'AIME, PORTUGAL!


 O DIA EM QUE O PAÍS PAROU 

SOMOS CAMPEÕES EUROPEUS! Que orgulho! Não se trata só de futebol, trata-se de provar ao mundo que Portugal não é um país tão pequeno quanto parece. Por aquele hino que me faz chorar, pela força com que lutaram contra todas as adversidades, pela forma como sentiram cada vitória - Muito obrigada por esta alegria.


Termino com o que considero ser o resumo do trabalho árduo e humilde de todos estes jogadores que tão bem nos representaram e tanta alegria trouxeram a este país (retirado de euro2016.expresso.pt).
"A saída do Ronaldo mostrou que Portugal foi a melhor seleção deste Europeu, porque por equipa se supõe coletivo e não houve nenhuma outra que se sacrificasse e sofresse coletivamente como esta, correndo bem ou mal, decidindo bem e mal, defendendo com todos, atacando com os possíveis, com os jogadores armadilhados e presos por arames mas movidos com uma convicção que terá raiz no Além.
Hoje vi o João Mário a fazer sprints quando o relógio já aconselhava a banhos e massagens; o Nani a defender como o Cédric; o José Fonte a assumir-se como patrão de uma defesa à qual chegou como quarta opção; o Pepe renascer das cinzas e das dúvidas; o Patrício a justificar aquilo que o sportinguistas dizem dele (que é um Santo); o Adrien a agarrar-se ao Pogba e ao Matuidi sabendo que perderia mais do que ganhava, porque as leis da física são implacáveis; o Renato a disparatar mas a nunca desistir e a levar uma palmada do Fernando Santos como um pai e um filho; o Quaresma a tentar voar porque agora tem uma pena na cabeça; o Éder a marcar um golo como o Nuno Gomes contra a Espanha no Euro 2004; e o Ronaldo a dar ordens e bitaites junto à linha, como se fosse um ex-jogador transformado num adjunto ou um veterano de guerra com um joelho enfaixado e uma perna coxa. (...)"


O meu coração está cheio.

Labels: ,